sábado, 13 de fevereiro de 2016

#13

Hoje é o dia. O dia mais temido, o dia que mais demora a passar. Este foi o dia em que te perdi e, consequentemente, me perdi. 
Muita coisa podia ter sido dita, muita coisa podia ter sido feita. Mas a esperança sempre foi superior e é por isso que a mágoa existe. 
Nunca tive coragem de me despedir de ti e isso custa-me. 
Nunca tive coragem de te dizer o quanto te adorava.
Nunca consegui fazer aquilo que agora me arrependo.

Tenho tantas saudades tuas! Acho que ninguém sabe o quanto este dia me dói, o aperto no peito que sinto e o nó na garganta que não se desfaz. Acho que ninguém sabe o quanto eu gostava de ter mudado a situação, trocado de lugar contigo... 
Dava tudo para te ter a meu lado outra vez! Sinto tanto a tua falta, das tuas histórias, dos nossos passeios. Sinto falta de te tocar nas mãos e sentir as rugas; sinto falta dos teus olhos e das tuas palavras. Sinto a tua falta!

Gostava de voltar atrás no tempo e recuperar memórias mas acima de tudo tempo. Tudo podia ter sido diferente, tu sabes disso. Podias ter feito aquilo que sempre dissemos e não esperar até à última, quando já não havia nada a fazer. Podias não ter sido teimoso. Podíamos ter insistido contigo muito mais cedo. Podíamos ter feito tanta coisa e, quem sabe, ainda aqui estarias...
Já viste o que se perdeu neste tempo todo? Gostava tanto que me visses crescer. Gostava de continuar a acreditar naquilo que me dizias sobre as estrelas. Gostava de olhar para o céu e sentir que a estrela mais brilhante és tu, tal como me disseste que aconteceria. Gostava de te sentir junto a mim. Gostava que estivesses aqui e que não fosses apenas uma memória.

Neste momento as lágrimas escorrem-me pela cara e as palavras faltam-me. O teu coração parou de bater e o meu está ferido por tua causa. Preciso de ti. Preciso de receber uma chamada tua. Preciso de saber que estás comigo. Preciso de chegar e ver-te sentado na cadeira junto ao lume ou esperar que venhas da horta. Preciso de ti, agora e sempre. 

As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudades
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir

Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir

São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder

Há dias que marcam a alma
e a vida da gente
e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer
Chuva - Mariza

1 comentário: