quinta-feira, 11 de junho de 2015

E agora?

Eles tinham tudo para dar certo...
Ela tinha a crença utópica de poder mudar as pessoas, de fazer a diferença e ajudá-las; ele apenas queria ser 'normal' e sentir tudo o que podia no máximo tempo possível. Ambos tinham os seus medos, mas decidiram ignorá-los e tentar ser felizes.
Isso até podia ter corrido bem, bastava que ninguém desistisse. Mas não foi o que aconteceu. Quando alguém salta fora do barco, ele abana e, se ninguém ajudar, ele vira-se.

Bastava uma palavra, uma explicação e, as coisas podiam ser diferentes. Bastava uma ajuda e alguém querer ser ajudado.
Mas e agora? Qual é o próximo passo?

1 comentário:

  1. Agora é reaprender a remar "sozinha". Perceber que o pior não é estarmos numa viagem só por nossa conta, mas sim não estarmos com a companhia certa. Aproveitar o passeio para apreciar a paisagem, focarmo-nos em nós próprios e nos nossos objetivos e olhar em volta.
    Há dias em que mo mar está mais agitado mas, independentemente do que aconteça, acaba sempre por acalmar.
    Força meu anjo,

    Vanessa S.
    De Saltos por Lisboa,
    desaltosporlisboa.blogspot.pt

    ResponderEliminar