terça-feira, 9 de dezembro de 2014

.

Gostava de ser melhor pessoa do que sou. 
Tenho tendência a magoar as pessoas que mais gosto e em quem mais confio. Não é por mal, é involuntário. Mas a verdade é que isso magoa e depois dói. Dói tanto que a dor se torna como facas a cortar a pele. Dói saber que não somos capazes de fazer alguém feliz. Dói saber que desiludimos aquela pessoa que apesar de tudo sempre esteve lá para nós e, quando ela precisou, não fomos capazes de a ajudar. Dói e continuará a doer saber que vamos magoar sempre alguém, não por mal, mas porque somos assim, mesmo que queiramos mudar.

1 comentário:

  1. Nunca gostamos de magoar quem gostamos. Mas, por vezes, é inevitável.
    Se pensarmos bem, só magoamos as pessoas que nos são próximas e em quem confiamos. É muito difícil magoar alguém distante, exatamente por não haver proximidade. Somos humanos, erramos. E, se erramos, é porque estamos a tentar fazer algo (no entanto, as coisas nem sempre correm bem). Temos de aprender a viver com os nossos erros e com os dos outros. Temos de aprender a perdoar (coisa difícil!). A por de parte o orgulho (contra mim falo). E reconhecer quando é que vale a pena nos deixarmos afetar por pequenas coisas, pequenos erros, pequenas falhas de comunicação.
    Força jeitosa,
    a vida ensina-nos que chorar alivia, mas sorrir torna tudo mais bonito ;)

    Vanessa S.
    De Saltos por Lisboa,
    desaltosporlisboa.blogspot.pt

    ResponderEliminar