quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

13.02

Mais um ano que passou, mais um texto, mais uma dor que aparece dentro do meu coração. 
Por vezes sinto que estou a esquecer tudo... como se o tempo que passa faça com que esqueça os momentos que passámos juntos, os pequenos detalhes do teu rosto, o teu cheiro quando me abraçavas, a sensação de estar contigo. Sinto que, dia após dia, perco mais uma parte que te pertencia... Um dos meus maiores medos está a surgir - sinto que me estou a esquecer de ti. 
Podia ter feito muito mais do que fiz, eu sei. Podia ter-te ajudado quando mais precisavas e, não o fiz. Podia ter feito com que fosses ao médico mais cedo; podia ter falado contigo uma última vez e dito para não desistires, fazer-te ver o quão importante tu és na minha vida! Podia ter-te dito o quanto te amo, o quanto me custava ver-te sofrer. Podia ter-te dito mil e uma coisas e não o fiz. Achava que a nossa história não terminava por esses dias... enganei-me! E, como consequência, ficaste sem saber tudo o que sinto por ti. Se soubesses todas as noites que eu chorei agarrada à almofada para que ninguém me ouvisse de modo a que isso atenuasse a tua dor e a minha por te ver nesse estado e não poder fazer nada. Se soubesses o quanto ainda choro por ti, por tudo o que vivemos, por tudo o que não tive coragem de fazer ou dizer... 
Preciso de ti, não nos meus sonhos como apareces, onde consigo, de uma forma, reviver tudo e tentar mudar a maneira como tudo aconteceu,  mas fisicamente. Preciso de sentir o teu abraço apertado, o teu sorriso que me preenchia por completo; preciso de te ver, de receber os teus beijos, de fazer as longas caminhadas contigo. Preciso que me guies, aconselhes. Preciso de ti, aqui, comigo!
Agora é tarde de mais, mas primeiro lugar, e mais uma vez, desculpa. Por tudo aquilo que já te pedi em textos anteriores...pela falta de coragem, por não me ter despedido, por tudo aquilo que tu sabes. Desculpa. Em segundo, amo-te. Sim, amo-te e, apesar de nunca o ter dito, era, aliás, é o que sinto!
Já são 7 anos sem ti. E ainda dói, tanto ou mais.

Amo-te ontem, hoje, amanhã! Sempre ♥

Sem comentários:

Enviar um comentário