sábado, 30 de novembro de 2013

*

Muita coisa mudou desde o dia que saíste por aquela porta e não voltaste. Sinto-me culpada por coisas que não disse, por não me ter despedido como devia. Se soubesse que não te voltaria a ver, nada teria acabado como acabou -  tínhamos dado um último abraço, um último beijo, tinha-te dito, pela última vez, que te amava, tinha-te dito tantas coisas que nunca te disse e que agora também nunca mais te direi... Desde que aquilo aconteceu, todos os dias, e quando digo todos, são mesmo todos me pergunto o porquê de teres sido tu, o porquê de ter acabado como acabou! Porquê é que tinhas de sair naquela altura? Não me podias ter deixado como deixaste! E, todos os dias, doí ainda mais que no dia anterior... Simplesmente porque sei que foi um até já indeterminado. Todos os dias um pedaço do meu coração se parte, todos os dias um pouco de mim morre. E sabes que mais? Todos os dias penso que não podias ter sido tu! Todos os dias penso  que a qualquer momento vais entrar e saudar-me como sempre o fizeste, mas nada acontece.. 
Dava tudo para te ter aqui comigo, para te contar tudo o que acontece, para me secares as lágrimas que neste momento correm na cara; dava tudo para ouvir a tua voz; dava tudo para te ver, nem que fosse uma última vez e te dizer o que não disse, para sentir, uma última vez o teu abraço reconfortante, o teu olhar carinhoso, o teu sorriso que me preenchia por completo.
Ainda não me perdoei.. e acho que tão cedo isso não acontecerá! Desculpa-me! Desculpa-me por não ter tido coragem; por não me ter despedido, por não ter estado contigo quando mais precisavas. Desculpa-me talvez por não ter sido a pessoa que esperavas. Desculpa-me, mais uma vez, por todas estas palavras.

I will always love you

Sem comentários:

Enviar um comentário