terça-feira, 20 de agosto de 2013

Já conheço o Renato desde que nasci e quase sempre tivemos uma amizade. Estivemos muito tempo afastados e ele chegou mesmo a "odiar-me". Há dois anos, na festa da terra do meu pai e da mãe dele, ele veio falar comigo, estava diferente, crescido, estava mudado, para melhor... já não era aquele rapaz que conheci! Fomos falando e desenvolvemos uma grande amizade. Hoje, sei que se precisar de algo ele vai lá estar, seja a que hora for. 
Muita coisa aconteceu e acabámos por ficar sem falar durante algumas semanas. Custou estar na mesma festa que ele e não falarmos, mas pelo menos sei que também lhe custou. Tentámos esquecer isto e acho que ambos conseguimos porque um pouco antes do feriado dos santos começámos a falar novamente, como sempre o fizemos! Mas mesmo assim haviam coisas para resolver... muitas perguntas para serem respondidas; muitas dúvidas... tudo isso se resolveu este fim-de-semana! No sábado, por exemplo, enquanto falava muito animadamente com o Nuno sobre a festa do Freixoeiro, o Renato não desviava o olhar; pouco depois, fui dançar e quando fui buscar bebidas, o Nuno veio, novamente, falar comigo a dizer que o Renato tinha ido falar com ele e tinha dito que não podiamos voltar a falar porque eu e ele iamos casar -.-'. Após ele me ter dito isto, confrontei o Renato e ele disse que não gostava de rapazes que se "atiravam" a mim...  Armou-se em protetor, para variar -.-'. Mas mesmo assim tínhamos que falar... e isso acabou por acontecer no domingo a noite. Tinhamos estado juntos na festa, eu, o Renato, o primo dele, o meu primo, o Nuno e mais uns moços do Chão de Lopes, a jogar matraquilhos e a beber um bocado, quando aquilo estava quase a acabar viemos embora para casa: o meu primo para a dele, o Renato foi levar o primo a casa dele e depois veio ter comigo, tinhamos que falar e dessa noite não podia passar! Quando chegou ao pé de mim, após falarmos um bocado sobre os últimos tempos, a festa, percebemos que há exatamente um ano, nesta altura não falávamos, fiz-lhe todas as perguntas que tinha, ele respondeu, fez-me as que quis e eu respondi-lhe. 
Já tinha saudades de estar assim com ele, das nossas palhaçadas, dos nossos atrofios, de ele, assim que me vê me dar um elogio e um minuto depois, dez insultos; temos uma enorme cumplicidade. 
Gosto mesmo muito dele, ele é das poucas pessoas que melhor me conhece lá, daqueles que consegue sempre por-me a rir, que goza comigo, que me apoia sempre; é aquele que daqui a uns dias me vai deixar andar na mota :p; gosto do sentido protetor dele e odeio quando me faz perder todos os jogos -.-'. 
Mas pronto, tirando isso e apesar de tudo o que já se passou entre nós, é um excelente amigo! Alguém que eu quero aturar por muitos anos :x.

  Renato, festa Freixoeiro 2012 
(demorou para tirar esta foto, mas valeu a pena! )

1 comentário:

  1. com que então o amor já vinha desde aqui.. hmmmmmmmmmmmmmmmmm ahahah

    ResponderEliminar